Aberta nova etapa de exposições do projeto “Das Telas às Imagens”

Nesta quarta-feira (6/7), foi aberta a segunda etapa da quarta temporada do projeto “Das Telas às Imagens – Identidade Cultural Por Cada Um de Nós”, que reúne quatro exposições, em cartaz até o dia 20 de julho, em quatro diferentes espaços de Camaçari.

A mostra “Bamuca 45 anos de sucesso” pode ser conferida na sala de recepção da Cidade do Saber. A exposição “Sincretismo”, do artista plástico Bernardo Ribeiro Tochilovsky, está em visitação no foyer do Horto Florestal Linaldo da Silva. O conjunto de obras “A Presença do Recôncavo Norte da Bahia na Consolidação da Independência do Brasil”, fruto da parceria entre Kalundewa e Diego Copque, está em cartaz no foyer do Teatro Alberto Martins. Já a mostra “A Bahia Mãe do Brasil”, de Nilson Carvalho, está no foyer do Teatro Cidade do Saber.

“Das Telas às Imagens – Identidade Cultural Por Cada Um de Nós” é realizado pelo Núcleo de Produção do Teatro da Cidade do Saber, através do subprograma Camaçari Tem Cena, com o objetivo de fomentar uma reflexão individual, coletiva e social sobre o contexto da arte e sua real importância, transcendendo o ambiente e atingindo a sociedade.

São abordadas temáticas variadas, buscando desenvolver um olhar crítico e sensível, além do desenvolvimento do gosto pela arte, explorando as possibilidades de expressão e interpretação da diversidade cultural como uma forma de ver, viver e conviver com a arte no espaço cultural, por meio da formação de plateia e, até mesmo, de novos talentos.

A visitação pode ser feita das 9h às 17h. O Teatro Alberto Martins e o complexo da Cidade do Saber podem ser acessados de segunda a sexta-feira ou nos dias/horários em que haja evento aberto ao público nos locais; já o Horto Florestal, abre de terça a domingo.

Confira mais sobre os artistas e as obras:

Sala de recepção da Cidade do Saber

Obra: Bamuca 45 anos de sucesso
A exposição retrata a Associação Cultural Banda Marcial de Camaçari (Bamuca), com linguagens de transformação artística. A visão não é histórica, e sim plural, mostrando o trabalho desenvolvido pelo grupo, que atualmente possui status de Patrimônio Cultural de Camaçari.

A Bamuca é uma instituição filantrópica que através da música marcial, da fanfarra e da educação musical sinfônica, promove o direito da criança e do adolescente ao lazer e à cultura. Além disso, desenvolve intercâmbio e atividades culturais com o intuito transformador, criando e reforçando laços sociais e vínculos afetivos nos diferentes espaços nos quais crianças, adolescentes e jovens se fazem presentes, a exemplo do espaço escolar.

Foyer do Horto Florestal Linaldo da Silva

Artista: Bernardo Ribeiro Tochilovsky
Obra: Sincretismo
O estilo próprio e a técnica apresentada em cada traço e pintura fazem parte da vida e obra do artista plástico. Desde criança encontrou uma maneira singular e genuína de se comunicar e aprender com o mundo, a partir do espectro do autismo. Tem nas tintas, nos lápis, aquarelas, papéis e telas, a possibilidade de explorar seu imaginário. Expôs em diversos espaços, como o Palacete das Artes e Teatro Módulo, em Salvador, e na Art Lab Gallery, em São Paulo.

Foyer do Teatro Alberto Martins

Artistas: Kalundewa/ Diego Copque
Obra: A Presença do Recôncavo Norte da Bahia na Consolidação da Independência do Brasil
A obra de arte faz parte de um acervo de 10 desenhos feitos por Kalundewa os quais ilustram o livro que possui o mesmo nome da exposição, de autoria do escritor, pesquisador e historiador Diego Copque. Retrata a celebração do dia 20 de fevereiro de 1823, data em que o vigário José Pereira da Fonseca conclama os moradores da Vila da Nova Abrantes do Espírito Santo, no adro da Igreja Matriz do Espírito Santo, para participar de uma missa solene e cantar, em ação de graças, o Te Deum, na Igreja Matriz, logo após a aclamação do príncipe regente D. Pedro de Alcântara como primeiro imperador constitucional do Brasil, que acabara de ser exaltado no Paço do Conselho da Vila de Abrantes.

Foyer do Teatro Cidade do Saber

Artista: Nilson Carvalho
Obra: A Bahia Mãe do Brasil

Artista plástico detentor de cadeiras na Academia Mundial de Cultura e Literatura (AMCL) e Academia de Artes, Ciências e Letras do Brasil (ACILBRAS). Residente de Arembepe, é idealizador do projeto Artes Para Todas as Idades (APIT), e tem obras circulando por diversas cidades brasileiras, já tendo recebido variados prêmios e títulos, como a Outorga Personalidade Troféu Superstar 2021 ANBA, da Organização Mundial dos Defensores dos Direitos Humanos, e o diploma do Festival Iberoamericano de Artes y Cultura Por La Paz.

A mostra é formada por 20 pinturas em óleo sobre tela, retratando a beleza e o colorido como proposta para divulgar a história dos diversos monumentos da Bahia, a começar por Salvador, primeira capital do Brasil. O acervo também inclui a imponente Igreja de Nossa Senhora da Penha, situada na Península de Itapagipe, e o antigo Aeroporto Internacional Dois de Julho.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *