Fogueira Santa conquista 1º lugar em Campeonato Estadual de Quadrilhas Juninas

O grupo junino camaçariense Fogueira Santa conquistou, no último sábado (18/6), o 1º lugar no Grupo de Acesso do Campeonato Estadual de Quadrilhas Juninas da Bahia 2022, entre 38 equipes. O Campeonato ocorreu na Praça da Revolução, em Periperi, bairro de Salvador, e envolveu ao todo 46 agremiações, entre os dias 16 e 19/6, em grupos de Acesso e Especial. Com o feito, a Fogueira Santa passou para o Grupo Especial, ficando apta para participar da competição do estado em 2023, em performance inédita para o coletivo.

Além do 1º Lugar dentre as 38 quadrilhas juninas participantes, a Fogueira Santa conquistou, ainda, troféus nas categorias de Melhor Figurino, Melhor Coreografia, Melhor Dançarina e Melhor Dançarino. Ou seja, arrastou consigo 40% das premiações categorizadas, superando em performance todas as demais do Grupo de Acesso.

Para a fundadora e presidente da Fogueira Santa, Núbia de Brito, dentro do trabalho construído, o título conquistado foi muito representativo. “Esse concurso era o mais importante, porque fez com que a gente subisse para o Grupo Especial. O prêmio é fruto de uma construção que já vínhamos almejando ao longo do tempo”, explicou a gestora.

Fundada em 2009, dentro de uma comunidade católica, na Paróquia Nossa Senhora da Conceição, situada no Camaçari de Dentro, atualmente o grupo desenvolve suas atividades na Lama Preta, em razão do número elevado de participantes moradores desse bairro, embora haja integrantes até de outros municípios.

O tema de trabalho que a Fogueira Santa escolheu para 2022 é uma homenagem à tradicional festa de São João: “Acorda povo, não há noite que resista tanta luz pra clarear”. Esse foi o nome que a celebração, em sua origem estritamente religiosa, ganhou, em razão da adesão e popularização do festejo. Tinha a bandeira do Santo como estandarte, e a manifestação com rezas e cânticos, que a acompanhava apresentando uma antiga procissão dançante brasileira, cujas raízes remontam ao estado de Pernambuco.

Para transformar a história em narrativa, a Fogueira Santa colocou 72 jovens dançarinos em quadra, 10 músicos, 16 apoios técnicos de cenografia e alegorias, além de nove diretores. Isso sem contar com os dois ônibus e um caminhão-baú necessários para dar mobilidade à estrutura demandada pelas apresentações completas do grupo.

No dia a dia, o projeto sociocultural reúne mais de 100 adolescentes acima de 16 anos. “Há jovens conosco que nunca tiveram oportunidade de sair de seu bairro, e com a gente já tiveram oportunidade de conhecer estados como Pernambuco e Sergipe, por exemplo. Por meio da cultura, a gente procura fazer a inserção desse jovem na sociedade, usando algo que eles gostam que é a dança, a arte, o teatro, como forma de atraí-los e, dentro da melhor forma, tentar direcioná-los para o melhor caminho”, explicou Núbia.

No dia 13 de junho, a Fogueira Santa abriu os festejos juninos na Praça Abrantes, e no dia 19/6 foi a vez de abrilhantar os festejos juninos da Gleba E. As próximas apresentações em Camaçari acontecerão no dia 23/6, às 18h, na Praça de Arembepe, e no dia 24/6 na Praça Abrantes, dentro da programação da Vila da Cultura, às 21h30.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *