Projeto “Das Telas às Imagens” estreia nova etapa de exposições

A terceira temporada do projeto “Das Telas às Imagens – Identidade Cultural Por Cada Um de Nós” chega à terceira etapa. Quatro exposições serão abertas na próxima terça-feira (14/6), ficando em cartaz até o dia 28 de junho em quatro espaços de Camaçari. A iniciativa é realizada pelo Núcleo de Produção do Teatro da Cidade do Saber, através do subprograma Camaçari Tem Cena, com o objetivo de fomentar uma reflexão individual, coletiva e social sobre o contexto da arte e sua real importância, transcendendo o ambiente e atingindo a sociedade.

A mostra “Bamuca 45 anos de sucesso” pode ser conferida na sala de recepção da Cidade do Saber. A exposição “Sincretismo”, do artista plástico Bernardo Ribeiro Tochilovsky, estará disponível para visitação no foyer do Horto Florestal Linaldo da Silva. O conjunto de obras “A Presença do Recôncavo Norte da Bahia na Consolidação da Independência do Brasil”, fruto da parceria entre Kalundewa e Diego Copque, ficará em cartaz no foyer do Teatro Alberto Martins. Já a mostra “A Bahia Mãe do Brasil”, de Nilson Carvalho, ocupará o foyer do Teatro Cidade do Saber.

Por meio das exposições, são abordadas temáticas variadas, buscando desenvolver um olhar crítico e sensível, além do desenvolvimento do gosto pela arte, explorando as possibilidades de expressão e interpretação da diversidade cultural, como uma forma de ver, viver e conviver com a arte no espaço cultural, por meio da formação de plateia e, até mesmo, de novos talentos.

A visitação pode ser feita das 9h às 17h. O Teatro Alberto Martins e o complexo da Cidade do Saber podem ser acessados de segunda a sexta-feira ou nos dias/horários em que haja evento aberto ao público nos locais; já o Horto Florestal, abre de terça a domingo.

Confira mais sobre os artistas e as obras:

Sala de recepção da Cidade do Saber

Obra: Bamuca 45 anos de sucesso

A exposição retrata a Associação Cultural Banda Marcial de Camaçari (Bamuca) com linguagens de transformação artística. A visão não é histórica, e sim plural, mostrando o trabalho desenvolvido pelo grupo, que atualmente possui status de Patrimônio Cultural de Camaçari.

A Bamuca é uma instituição filantrópica, que através da música marcial, da fanfarra e da educação musical sinfônica, promove o direito da criança e do adolescente ao lazer e à cultura. Além disso, desenvolve intercâmbio e atividades culturais com o intuito transformador, criando e reforçando laços sociais e vínculos afetivos nos diferentes espaços nos quais crianças, adolescentes e jovens se fazem presentes, a exemplo do ambiente escolar.

Foyer do Horto Florestal Linaldo da Silva

Obra: Sincretismo.

Artista: Bernardo Ribeiro Tochilovsky

O estilo próprio e a técnica apresentada em cada traço e pintura fazem parte da vida e obra do artista plástico. Desde criança, encontrou uma maneira singular e genuína de se comunicar e aprender com o mundo, a partir do espectro do autismo. Ele tem nas tintas, nos lápis, aquarelas, papéis e telas, a possibilidade de explorar seu imaginário. Expôs em diversos espaços, como o Palacete das Artes e Teatro Módulo, em Salvador, e na Art Lab Gallery, em São Paulo.

Foyer do Teatro Alberto Martins

Obra: A Presença do Recôncavo Norte da Bahia na Consolidação da Independência do Brasil

Artistas: Kalundewa/ Diego Copque

A obra de arte faz parte de um acervo de 10 desenhos feitos por Kalundewa, os quais ilustram o livro que possui o mesmo nome da exposição, de autoria do escritor, pesquisador e historiador Diego Copque. Visa apresentar alguns aspectos relacionados à participação do município de Camaçari e determinadas localidades do Recôncavo Norte no processo de consolidação da Independência do Brasil na Bahia. Além disso, reconhece e afirma os aspectos étnicos, antropológicos e culturais, que compõem a história da região.

Foyer do Teatro Cidade do Saber

Obra: A Bahia Mãe do Brasil

Artista: Nilson Carvalho

Artista plástico detentor de cadeiras nas academias Mundial de Cultura e Literatura (AMCL) e de Artes, Ciências e Letras do Brasil (Acilbras). Residente de Arembepe, é idealizador do projeto Artes Para Todas as Idades (APIT), e tem obras circulando por diversas cidades brasileiras, já tendo recebido variados prêmios e títulos, como a Outorga Personalidade Troféu Superstar 2021 ANBA, da Organização Mundial dos Defensores dos Direitos Humanos, e o diploma do Festival Ibero-Americano de Artes y Cultura Por La Paz.

A mostra é formada por 20 pinturas em óleo sobre tela, retratando a beleza e o colorido como proposta para divulgar a história dos diversos monumentos da Bahia, a começar por Salvador, primeira capital do Brasil. O acervo também inclui a imponente Igreja de Nossa Senhora da Penha, situada na Península de Itapagipe, e o antigo Aeroporto Internacional Dois de Julho.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *